Buscar

Trabalhadores do ramo financeiro aprovam minuta de reivindicações da categoria

Bancários de todo o País aprovaram, em assembleia virtual, a minuta de reivindicações da categoria, construída durante a 22ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, realizada no último sábado (18). A votação da minuta ocorreu ao longo da segunda e terça-feira, por meio de sistema eletrônico, contando com a participação de um número expressivo de bancários.


Na avaliação do coordenador da secretário geral da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Fetrafi/SC), Jacir Zimmer, a participação massiva dos bancários e financiários no processo de votação surpreendeu positivamente. “Mesmo com as limitações impostas, a impossibilidade de fazer atividades e assembleias presenciais, a grande participação dos trabalhadores demonstra que a categoria está atenta e preparada para enfrentar uma campanha diferente, num momento inédito e com novos mecanismos de luta”.


Nesta quinta-feira (23), os componentes do Comando Nacional dos Bancários estarão reunidos, virtualmente, com representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para entregar a pauta de reivindicações aprovada pelos trabalhadores. Neste mesmo encontro, deverá ser definido o calendário de negociações entre as entidades que representam os bancos e os representantes dos trabalhadores.


Acesse aqui o documento completo


Jacir lembra que é de fundamental importância que a categoria participe, acompanhando o andamento e o desdobramentos do processo de negociação. As informações podem ser acessadas nos portais e redes sociais dos sindicatos, federações e confederação, entidades que representam os trabalhadores.


Destaques da minuta aprovada em Conferência e que será apresentada à Fenaban e à Febraban na quinta-feira (23), às 14h30


Índice

Depois do debate sobre as propostas, os delegados aprovaram a reivindicação de reajuste de inflação mais 5% de aumento real nos salários e todas as cláusulas econômicas.


Home office

A 22ª Conferência também aprovou a inclusão na minuta de uma cláusula para regular o trabalho home office, que não pode ser imposto pelo banco, para estabelecer, entre outras coisas, que os custos do teletrabalho sejam arcados pelos empregadores, assim como o fornecimento dos equipamentos de trabalho e ergonômicos. A cláusula também proíbe que sejam retirados direitos dos trabalhadores que cumprirem suas funções em suas casas, à exceção do vale-transporte/combustível, que deve ser fornecido com valor proporcional aos dias de comparecimento do trabalhador no banco, definindo que estes tenham de realizar suas atividades no próprio local de trabalho, pelo menos, uma vez por semana.


Metas abusivas

A Conferência também aprovou uma proposta para que seja feita uma atualização da cláusula que trata sobre a estabelecimento e a cobrança as metas pelos bancos.


Uma vez que um dos eixos da campanha será a luta pela saúde e melhores condições de trabalho para a categoria.


Demais cláusulas

As demais cláusulas hoje presentes na CCT foram mantidas na minuta de reivindicações.


Outros eixos

A campanha terá como prioridade a manutenção dos empregos e dos direitos, a defesa dos bancos públicos e o reajuste do valor da Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) pelo mesmo índice da campanha.

Parceiros nas Lutas!

JOACABA.png

BANCÁRIOS

ARARANGUÁ

BANCÁRIOS

CHAPECÓ

BANCÁRIOS

BLUMENAU

BANCÁRIOS

CRICIÚMA