Buscar

Pressão do movimento sindical resulta em dois sábados seguidos sem agências abertas no Santander

Atualizado: 15 de fev.



Protagonizando a luta em defesa da categoria, os sindicatos da Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras de Santa Catarina se fizeram presentes nos locais de trabalho no sábado, dia 22 de janeiro. Cada entidade, a sua maneira, fez sua manifestação e dialogou com os trabalhadores sobre os riscos de retrocessos nos direitos que cercam os colegas bancários.


Entenda o caso


Na metade de janeiro, o Santander divulgou na mídia, mesmo sem negociar com a representação dos trabalhadores, a abertura de 3.000 agências para que seus clientes pudessem renegociar suas dívidas junto ao banco espanhol através do programa Desendivida. Tal medida buscou vender a ideia de que a intenção era promover uma ação de cunho social tentando fazer com que a categoria trabalhasse no sábado, 22 de janeiro.


Desde lá, o movimento sindical de todo o país realizou ações para tentar impedir tamanho desrespeito aos direitos dos trabalhadores, sendo que a abertura de agências bancárias fere a Lei 4.178/1962 que extinguiu o funcionamento dos bancos aos sábados. E ainda, conforme entendimento consagrado da Súmula 124 do Tribunal Superior do Trabalho (TST), o sábado é considerado dia útil não trabalhado para os bancários.


Mobilizações em todo o país


Como forma de evitar que o banco espanhol abrisse novamente as agências aos sábados, os bancários foram à luta. Em muitos estados, houve o ingresso de ações na Justiça do Trabalho e concessão de decisões liminares proibindo o banco de abrir e convocar os funcionários para o trabalho no sábado.


Em Santa Catarina, dirigentes sindicais de Florianópolis, Blumenau, Araranguá e Criciúma fizeram valer a liminar concedida na Justiça do Trabalho em SC. A Fetrafi-SC sabe que nem toda vitória é definitiva e o banco poderá, a qualquer momento, retomar com essa tentativa de driblar a legislação vigente. No entanto, “iremos nos manter atentos a qualquer movimentação no sentido de retomar esse projeto e, caso seja necessário, seguiremos mobilizados e resistindo”, avaliou o presidente do Sintrafi, Cleberson Pacheco Eichholz.


Diante de tanta mobilização, a Fetrafi-SC avalia que as atividades realizadas no Santander resultaram em uma importante vitória dos trabalhadores porque o banco não convocou seus funcionários para abrirem suas unidades nos últimos dois sábados passados, 29 de janeiro e 5 de fevereiro.


A direção da Fetrafi-SC continuará vigilante e pronta para enfrentar e resistir às tentativas de abertura das agências bancárias aos sábados.

#SantanderSábadoNão

#QueVergonhaSantander