Buscar

Governo de SC segue descumprindo orientações do Ministério da Saúde em relação à vacinação

Mesmo atendendo diariamente a população, milhares de bancários ainda não receberam a vacina contra a Covid-19. O serviço foi considerado essencial pelo próprio governo desde o início da pandemia


O governo de Santa Catarina segue descumprindo o Informe Técnico emitido no início de julho pelo Ministério da Saúde, orientando a reserva de 20% de doses de vacina contra o coronavírus para os bancários e trabalhadores dos Correios.

A justificativa do governo do Estado é de que os bancários estariam contemplados com o avanço da vacinação por idade. Porém, no momento da publicação do Informe Técnico, no dia 6 de julho, mais de 8 mil profissionais do setor em Santa Catarina ainda não haviam recebido a vacina justamente devido à idade. Os dados são da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), e trazem o levantamento completo do número de trabalhadores por faixa etária em cada município catarinense.

Passados mais de 30 dias da data de publicação do referido Informe Técnico, prevendo a reserva de doses, milhares de bancários seguem não tendo acesso ao imunizante.

A vacinação é extremamente importante para quem atua nos bancos, visto que estes profissionais atendem diretamente a população e precisam de segurança sanitária para si e também para os próprios clientes. Vale lembrar ainda, que o serviço bancário foi considerado essencial por decreto do governo federal já no início da pandemia.

Reiterados pedidos

Antes mesmo de o programa de vacinação ser implantado no país, no final de 2020, as entidades representativas da categoria vêm lutando pela inclusão dos bancários nos grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização (PNI).

Neste período, foram inúmeras reuniões realizadas entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para cobrar das instituições financeiras que pressionassem o governo federal pela vacinação dos trabalhadores do setor.

Da mesma forma, o debate ocorreu na Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras de Santa Catarina (Fetrafi-SC) para definir ações em defesa da vida dos bancários e pela inclusão da categoria no PNI.

Em julho, após o Ministério da Saúde anunciar a priorização dos bancários, a Fetrafi-SC enviou correspondência à Secretaria de Saúde cobrando o cumprimento da orientação técnica. No entanto, o pedido foi negado pelas autoridades de saúde de Santa Catarina e pelos componentes da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Ou seja, desde então, o governo do Estado vem descumprindo a orientação emitida pelo Ministério, colocando em risco a vida de trabalhadores que atendem a população num serviço considerado pelo próprio governo como essencial.

O que agrava ainda mais a situação é a confirmação de mais 25 casos da variante Delta em SC. Até o momento, o Estado já detectou 36 casos desta variante em 20 municípios, segundo informações divulgadas pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV) na manhã desta terça-feira, 10.

A Fetrafi-SC lamenta a lentidão com que as vacinas estão chegando nos estados e municípios. O coordenador da Secretaria Geral da entidade, Denilson Machado, explica que a categoria bancária está exposta ao vírus cotidianamente desde o início da pandemia. “Precisamos que os governantes reconheçam o risco que os bancários estão correndo. Já perdemos colegas para este vírus e não queremos sofrer com mais perdas. Apesar de toda nossa luta pela inclusão dos bancários como grupo prioritário no PNI, seguimos sem o acesso ao imunizante. Não bastam políticas públicas, é preciso executá-las com celeridade”, avalia o dirigente.