Buscar

Retrospectiva aponta série de medidas contra a categoria bancária ao longo do governo Bolsonaro

Lista vai desde a publicação de Medidas Provisórias, aprofundamento da Reforma Trabalhista e privatizações de setores dos bancos públicos

Breve retrospectiva dos quatro anos de maldades de Bolsonaro e Paulo Guedes contra a CATEGORIA BANCÁRIA e a classe trabalhadora


Medida Provisória é uma norma com força de lei editada pelo presidente da República


MP 905/2019

Com a MP 905 (Carteira Verde Amarela), Bolsonaro pretendia liberar o trabalho dos bancários aos sábados.


MP 1108/2022

Alterava auxílio alimentação e teletrabalho e permitiria contratação por produção e por tarefa, com celebração de acordo individual entre patrão e empregado.


MP 1045/2021

Uma atualização da MP 936 que retiraria, por meio de acordo individual ou coletivo, a jornada de 6 horas dos bancários e reduziria o adicional das horas extras.


MP 936/2020

O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda permitiria ampliar a jornada dos bancários de 30 para 40 horas semanais.


MP 1052/2021

Passaria para os bancos privados a gestão do FNO, FNE e FCO, o que enfraqueceria o Banco do Brasil (FCO) ou até fecharia o Basa (FNO) e o BNB (FNE).

 

Piora da Reforma Trabalhista

1 - Liberar trabalho aos domingos (foi rejeitado pelo Congresso e tem previsão pela CLT, de forma estruturada);

2 - Proposta de criação de uma PEC para extinguir a Justiça do Trabalho

3 – O governo federal encomendou estudo para excluir os direitos da CLT para trabalhadores de aplicativos;

4 – Legalização do lockout, a greve dos empresários. Hoje, a legislação veda a paralisação sem o pagamento dos salários.

 

Privatizações de bancos e empresas públicas

Bolsonaro e Paulo Guedes entregam o patrimônio nacional para o mercado financeiro


1 – Bolsonaro já privatiza o BB com a reestruturação que fechou 1.400 agências, demitiu 23 mil bancários e com a entrega de subsidiárias ao mercado financeiro;

2 – Venda de subsidiárias como a Caixa Seguridade e Caixa Cartões foram algumas das ações de Bolsonaro para privatizar a Caixa;

3 – A privatização dos Correios foi aprovada na Câmara em agosto de 2021, mas parou no Senado devido às eleições de 2022.

 

Reforma da Previdência

Bolsonaro e Paulo Guedes não querem que o trabalhador tenha direito à aposentadoria


1 – Idade mínima

Hoje, prevê que homens se aposentem a partir de 65 anos e mulheres aos 62 anos. Antes, não era necessário cumprir uma idade mínima para se aposentar.

2 – Tempo de contribuição

Hoje, são 15 anos de contribuição mínima para mulheres e 20 anos para os homens. Antes, era 15 anos de contribuição mínima para ambos.

3 – Aposentadoria integral

Hoje, as mulheres receberão 100% da aposentadoria após 35 anos de contribuição e homens, após 40 anos e mais a idade mínima. Antes, somava idade e tempo de contribuição (30 anos mulheres e 35 anos homens).

4 – Pensão por morte

Hoje, as viúvas, viúvos e órfãos têm direito a somente 60% do valor do benefício e mais 10% por dependente. Antes, as pensões por morte eram de 100% do valor do benefício.

 

Bolsonaro quer colocar em prática as maldades da PEC 32


Entre tantas outras coisas, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32, a chamada Reforma Administrativa, acaba com a estabilidade do servidor público e dos trabalhadores das empresas públicas, incluindo os bancários empregados dos bancos públicos. Se aprovada, a proposta, que é mais um ataque do governo Bolsonaro aos trabalhadores, poderá reduzir salários e abrir brechas para a corrupção.

 

Sem atualização da tabela do IR, Bolsonaro mantém arrocho da classe média


Sem reajustes desde 2015, a tabela do IR acumula defasagem de 24%, o maior para um mandato desde 1996. Falta de correção na LDO faz com que quem ganha salário menor pague quase 2.000% a mais.

 

Atraso na vacinação matou quase 700 mil brasileiros de Covid-19


Segundo o epidemiologista, Pedro Hall, na CPI da pandemia, pelo menos 400 mil mortes por Covid poderiam ser evitadas sem o atraso das vacinas. Bolsonaro excluiu os bancários no Plano Nacional de Imunização. Os bancários só foram prioridade na vacinação com muita luta sindical.

 

ELETROBRAS

A conta de luz deve subir até 25% por conta da privatização da Eletrobras e da contratação de termelétricas previstas.


Não se deixe enganar, diga não aos inimigos do povo!


NA IMPRENSA

Clique na manchete para acessar a matéria completa






É HORA DE VOTAR EM QUEM DEFENDE VOCÊ, TRABALHADOR!


Clique AQUI para baixar o arquivo para impressão.