Buscar

Fetrafi-SC participa do Encontro Nacional do Banco Mercantil do Brasil

Bancárias e bancários definiram uma minuta de reivindicações para negociar com o banco


Foi realizado nesta quarta-feira, 4, o Encontro Nacional dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil (BMB). O Encontro definiu uma minuta de reivindicações com demandas que um banco como o Mercantil, com boa saúde financeira, já deveria ter atendido. Os funcionários cobram questões básicas como instalação de painéis de acrílico nas agências para preservar bancárias e bancários do contágio da Covid-19, maior valorização das mulheres na carreira, manutenção do emprego e pagamento mínimo no programa próprio de PLR.

O coordenador jurídico da Fetrafi-SC e funcionário do Banco Mercantil do Brasil, Leandro Spezia, avaliou que a atividade foi importante para tratar de uma pauta específica, que será entregue ao banco nos próximos dias e, integrando esta pauta, tem um ponto fundamental a questão da saúde, ou seja, as péssimas condições de trabalho, os adoecimentos e a falta de funcionários.” O dirigente conta que o banco demitiu centenas de funcionários no último período, inclusive dirigentes sindicais, e fechou diversas agências, desrespeitando o movimento sindical.

Já em relação à Covid-19, o Mercantil não tem seguido todos os protocolos como, por exemplo, não instalou o acrílico e faltam outros mecanismos de segurança nos locais de trabalho durante a pandemia. Além disso, Spezia revela que “o banco também tem chamado os funcionários que estão fazendo home office para voltar a trabalhar nas agências, o que tem causado problemas porque a pandemia não acabou e o banco não está atendendo todos os protocolos de segurança.”

Para combater tudo isso, o coordenador jurídico da Federação explica que “além da entrega da pauta de reivindicações, também serão realizadas atividades virtuais jurídicas através do Ministério Público, de outros órgãos de saúde e do Procon para conseguir melhorias nas condições de trabalho da categoria. Os funcionários também discutiram a participação na Conferência Nacional dos Bancários, atividade em que contribuirão com a pauta nacional que vem sendo discutida em todo o país.”

Balanço

Foi apresentado o balanço do primeiro trimestre de 2021, no qual o Mercantil apresentou uma alta de 6% nos ativos do banco de março do ano passado ao mesmo mês deste ano, que atingiu R$ 10,7 bilhões. A carteira de crédito cresceu 34% no mesmo período e chegou a R$ 6,8 bilhões.

Saúde

O secretário de Saúde do Trabalhador da Contraf-CUT, Mauro Salles, fez uma exposição dos impactos da covid-19 na categoria e as negociações feitas com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para preservar a saúde da categoria com protocolos de segurança e outras medidas para o enfrentamento da pandemia e suas sequelas.

Minuta

O Encontro Nacional dos Funcionários do Mercantil do Brasil aprovou uma minuta para negociar com o banco. Questões apresentadas por bancárias e bancários de todo o país foram incluídas na proposta.

Propostas tiradas no Encontro Nacional dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil

  • Testagem, quinzenal, de Covid-19 em todas as agências.

  • Exigência de emissão de Comunicação de Acidente de trabalho (CAT) pelo próprio banco, entendendo que a Covid é uma doença do trabalho.

  • Valorização das mulheres, pois foi observada a discrepância entre os cargos de chefia ocupados por homens.

  • Manutenção do emprego no Mercantil do Brasil durante o período de pandemia de COVID19 e o fim das demissões e da rotatividade.

  • Contratação de mais funcionários por agência.

  • Reivindicação de pagamento mínimo no programa próprio de PLR aos trabalhadores.

  • Pelo fim do assédio moral no Mercantil do Brasil. Muitos bancários estão pedindo demissão por conta do assédio moral e por conta das metas abusivas.

  • Negociação obrigatória com o COE o RETORNO SEGURO ao trabalho do pessoal (com comorbidade) que está afastado sem Home Office.

  • Padronização na instalação de acrílicos em todas as mesas de atendimento a clientes do Banco Mercantil do Brasil, no prazo máximo de dois meses após a solicitação por parte dos sindicatos.

  • Solicitar ao Banco que intervenha junto ao INSS que ocorra a ampliação do número de lotes enviados por semana, e não apenas às terças-feiras, como vem ocorrendo.

  • Proibir a redução do recebimento de PLR dos trabalhadores em decorrência do encerramento de contas nas agências.

  • Fim do ranking de comparação entre agências.