Buscar

Fetrafi-SC esclarece dúvidas e orienta voto “SIM” sobre a proposta de custeio do Saúde Caixa

Plenária Estadual dos Empregados da Caixa Econômica Federal foi promovida pela Fetrafi-SC na quarta-feira, 27, para tirar dúvidas orientar voto “SIM” na proposta do Saúde Caixa



Na noite desta quarta-feira, 27, a Fetrafi-SC realizou uma Plenária Estadual dos Empregados da Caixa Econômica Federal para esclarecer dúvidas sobre a proposta de custeio do Saúde Caixa e orientar voto “SIM”, que assegura os princípios de solidariedade, mutualismo e o pacto intergeracional, com cobrança por grupo familiar do plano.


Sindicatos de bancários de todo o país estão realizando assembleias nesta quinta, 28, e sexta-feira, 29, dos empregados da Caixa Econômica Federal para deliberar sobre a proposta de modelo de gestão e custeio do Saúde Caixa, construída em mesa de negociações com o banco. A Fetrafi-SC orienta a aprovação da proposta que será deliberada nas bases dos sindicatos que compõem a Federação e pede para que todos participem votando “SIM”.


O coordenador de Saúde da Fetrafi-SC, Orlando Flávio Linhares, ressaltou a importância seguir a orientação da Federação e do Comando Nacional dos Bancários, que defendem o voto “SIM” nas bases dos sindicatos que compõem a entidade para que o plano possa ser mantido sem cobranças individuais de valor mínimo de acordo com faixa de idade. “Caso a proposta não seja aprovada assim, os aposentados e os funcionários que ganham menos serão prejudicados,” alertou.


Já o representante da Comissão Executiva de Empregados da Caixa (CEE/CAIXA) pela Fetrafi-SC e presidente do SEEB Blumenau, Edson Heemann, fez um resgate histórico para explicar como a Caixa chegou nessa situação, chamando atenção para o encarecimento dos custos da medicina com tratamento de saúde, que é suportado pelo plano, mas que sobe numa ordem descasada com relação ao reajuste da recomposição das parcelas do banco.


“De 2004 a 2020, o aumento das despesas com medicina acabou elevando os custos de saúde, que aumentaram 632%, enquanto a folha de pagamento da Caixa cresceu 522% neste mesmo período. Só aqui, houve um descasamento de 110% entre o que se arrecada e o que se gasta devido justamente à elevação dos custos de medicina. Isso fez com que o superávit que tínhamos em 2016 se tornasse déficit para a empresa. A arrecadação dos empregados da Caixa não contempla mais os 30% que era de nossa responsabilidade”, explicou.


Heemann aproveitou para ir além na tentativa de fazer com que os participantes entendessem a real intenção dos governantes atuais em relação à Caixa. “Eles querem preparar a empresa para um modelo de privatização porque, adequando o modelo de custeio do plano ao mercado com custo individualizado em que as pessoas pagam conforme sua idade e a quantidade de dependentes, seria mais fácil jogar para os empregados a maior responsabilidade financeira. Dessa forma, a empresa se torna mais atrativa para o mercado no sentido de uma eventual privatização.”


O diretor do Sindicato dos Empregados dos Estabelecimentos Bancários de Criciúma e Região, Laércio Silva, destacou que é preciso votar com base na nossa realidade atual porque, por exemplo, “os 6,5% do limite da Caixa (folha de pagamentos e proventos) não será resolvido neste governo, considerando que não há interesse em defender empresas públicas, assim como defender os direitos trabalhistas, bem pelo contrário. Para o governo federal, quanto mais perto da informalidade tivermos, melhor.”


Portanto, é de extrema importância que todos os empregados da Caixa votem “SIM” para manter os princípios de solidariedade e do pacto intergeracional, que impede que os empregados que ganham menos, com mais idade e aposentados sejam impedidos de permanecer no plano devido ao aumento das mensalidades que teriam que pagar se estes princípios não fossem mantidos.



Quem pode e como votar


Todo empregado da ativa, aposentado, ou pensionista participante do Saúde Caixa tem direito ao voto. Basta acessar o link clicando AQUI, inserir seu número de matrícula (sem o zero à esquerda e sem o dígito) e o sistema apresentará três nomes. Clique sobre o próprio nome. Depois é só votar. Caso não apareça o nome do votante na relação, selecione a opção “voto em separado” e preencha os dados solicitados.