Buscar

Fetrafi-SC debate campanha salarial, defesa do Banrisul público e pautas específicas virtualmente

30º Encontro Nacional dos/as Banrisulenses será neste sábado, 18, em Porto Alegre

A Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras de Santa Catarina (Fetrafi-SC) realizou um “Encontro Virtual Estadual dos Funcionários do Banrisul de SC” nesta terça-feira, 14, através da plataforma Zoom. O evento aprofundou o debate sobre a campanha salarial, defesa do Banrisul público e pautas específicas do banco. Além disso, possibilitou aos banrisulenses trazer demandas para serem discutidas no 30º Encontro Nacional dos/as Banrisulenses.

Cleberson Pacheco Eichholz, presidente do Sintrafi Florianópolis, apresentou as pautas que foram apontadas na Conferência Estadual de SC como prioritárias para serem fortalecidas na mesa de negociação específica do Banrisul, tais como: realização de concurso público, majoração da verba fixa dos Operadores de Negócios, instalação de Circuito Interno de TV em 100% das agências, abastecimento dos caixas eletrônicos sem trânsito visível aos clientes e restabelecimento do auxílio-moradia aos Gerentes de Negócios.

O presidente do SindBancários de Porto Alegre e Região Metropolitana, Luciano Fetzner, foi convidado para esclarecer sobre o cenário das negociações e as ações do movimento sindical para este ano. O dirigente alertou que “pode ser que estejamos falando do último Encontro dos Banrisulenses porque o que está em jogo este ano é a possível venda do Banrisul, caso o resultado das urnas seja a continuidade do projeto neoliberal que está em curso no país.”

Fetzner contou que, há poucos anos atrás, o banco tinha quase 12 mil empregados e, hoje, conta com menos de 9 mil. Ou seja, para além do fechamento de agências, o banco está sendo enxugado e, com isso, falta de mão de obra para cumprir com todas as tarefas do dia a dia, o que resulta em sobrecarga de trabalho, adoecimento e até mesmo em afastamento por doença, além de muitos pedidos de demissão e até mesmo abandono de emprego.

Isso sem falar nas condições precárias de trabalho a que os colegas estão submetidos com o sucateamento dos sistemas, das agências, dos equipamentos, dos mobiliários. Para ele, “este é o mesmo script neoliberal que já conhecemos de causar o desmonte e, posteriormente, solucionar o problema com a venda da instituição. É isso que está dado sobre o Banrisul no cenário atual. E, junto a isso, temos uma campanha salarial para defender nossas reivindicações.”

Entre as principais pautas deste ano, segundo Luciano, está a reposição da inflação, reajuste nos tickets alimentação e refeição, realização de concurso, remunerações variadas, teletrabalho, fim do assédio moral e das metas extremamente abusivas, CABERGS, Fundação Banrisul, ameaças ao plano de saúde, retirada de patrocínios e Banrisul Cartões.

“Precisamos reafirmar entre os colegas a necessidade de fortalecer a luta pelo Banrisul público. Precisamos que as famílias dos 9 mil empregados do banco estejam engajadas na luta de outubro após o término da campanha salarial para garantir a defesa do Banrisul público por muitos anos, finalizou o dirigente.”

Pacheco enfatizou a importância de todos os colegas se envolverem na campanha “Eu sou Banrisul!”, promovida pelo SindBancários e Fetrafi-RS, que visa conscientizar a sociedade gaúcha sobre a importância da defesa do Banrisul público diante da ameaça de privatização do banco pelo governo Eduardo Leite.

Para participar da campanha “Eu sou Banrisul!”, siga as redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/obanrisulenosso

Instagram: https://www.instagram.com/eu_sou_banrisul/

Twitter: https://twitter.com/SBanrisul

Ao término da atividade, Cleberson fortaleceu o convite para o 30º Encontro Nacional dos/as Banrisulenses, que será neste sábado, 18, em Porto Alegre. Clique AQUI para saber mais informações e acessar a programação completa do 30º Encontro Nacional dos/as Banrisulenses, que acontece neste sábado, 18, em Porto Alegre.