Buscar

Direção do Sintrafi se reúne com representantes do Bradesco


Nesta quarta-feira, 1, na sede do Sindicato, Dirigentes do Sintrafi se reuniram com representantes do Bradesco Sílvia Eduara Cavalheiro, Gerente de RH, e Priscilla Wallace Buck Mosca, Gerente de Relações Sindicais, para tratar de diversas demandas dos empregados. Além das duas representantes do banco, participaram da reunião o Presidente do Sintrafi, Cleberson Pacheco Eichholz e os Dirigentes Carlos Wilson de Souza (Gijo), Luiz Toniolo e Marco Silvano.


A reunião foi proposta pela Direção do Bradesco após as seguidas manifestações realizadas pelo Sindicato denunciando as demissões e a insatisfação dos funcionários pela cobrança abusiva de metas. “Consideramos que o Bradesco tenha sentido o golpe e avaliado a necessidade de abertura de um canal de negociações para ajuste dos problemas denunciados pelo movimento sindical”, destacou Marco Silvano, que também é Dirigente da Fetrafi-SC. Clique aqui para saber mais sobre os atos no Bradesco.

No início da reunião, o Dirigente Cleberson relatou as diversas reclamações de empregados do Bradesco em relação à pressão pelo cumprimento de metas, o que tem provocado o adoecimento físico e emocional dos bancários.

Para o dirigente, tem faltado sensibilidade de muitos gestores, na medida em que enfrentamos no país grave crise econômica e sanitária, sendo impossível atingir os resultados exigidos, muitas vezes superiores as próprias metas estabelecidas pelo banco.

Outro tema abordado pelo dirigente diz respeito a política de demissões promovida pelo banco nos últimos meses, atingindo mais de 4.000 trabalhadores no país. Conforme lembrou o dirigente, “os bancos estão desrespeitando o compromisso assumido em não demitir durante a pandemia, gerando de forma irresponsável enorme insegurança na categoria”.

Na sequência, os dirigentes cobraram das representantes do banco o cumprimento por parte da instituição da legislação que trata da segurança bancária, afirmando que o Sindicato está adotando todos as medidas para garantir a instalação de portas de segurança e a presença de vigilantes em todas as unidades.

Sobre as questões apresentadas, as representantes do Bradesco afirmaram que o novo modelo de “unidades de negócio” faz parte da estratégia do banco, considerando que a pandemia provocou a migração das operações para as plataformas digitais.

Em relação a cobrança de metas, assumiram o compromisso de verificarem todas as denúncias, reorientando os gestores para que os empregados sejam respeitados, afirmando ainda que o modelo de remuneração do Bradesco valoriza o resultado das equipes.

Sobre as demissões, afirmaram que se trata de um ajuste natural que está ocorrendo no Sistema Financeiro, em razão das mudanças no comportamento de acesso aos serviços bancários por parte dos clientes e da crise econômica e sanitária.

Porém, segundo as representantes de Relações Sindicais, o banco avalia com preocupação as razões do descontentamento de muitos dos empregados, já que parte dos desligamentos tem ocorrido a pedido.

Ao final, os dirigentes do Sindicato afirmaram que os empregados do Bradesco esperam uma revisão imediata na política de gestão de pessoas, com o fim da pressão por metas e com mais respeito aos trabalhadores, que mesmo durante a pandemia, vêm cumprindo um papel fundamental no atendimento da população. Também ficou estabelecida a marcação de uma nova reunião para o início do ano que vem com a participação dos demais Dirigentes da Fetrafi-SC, a fim de estabelecer o diálogo com os outros Sindicatos filiados à federação.

De acordo com o dirigente Carlos Wilson de Souza (Gijo), representante da COE do Bradesco, “o Sintrafi continuará atento ao comportamento dos gestores nas unidades, atuando sempre que necessário na defesa dos bancários e bancárias”.

Fonte: Sintrafi