Buscar

Definição de plano de lutas encerra 32º CNFBB

Debates sobre a Caixa de Assistência dos funcionários (Cassi) específicos, sobre saúde e outro sobre previdência foram os destaques do evento


Os funcionários do Banco do Brasil aprovaram o plano de atuação em defesa do banco e de seus direitos no encerramento do seu 32º Congresso Nacional, realizado neste domingo, 8. Realização de seminários sobre a Caixa de Assistência dos funcionários (Cassi) específicos sobre saúde e outro sobre previdência estão entre os destaques. Mas, também as resoluções sobre a unidade dos empregados na defesa do BB e dos demais bancos e empresas públicas, que estão sob ataque do governo Bolsonaro.

O 32º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB) teve debates e votações online e as reflexões giraram em torno do tema “Construindo juntos o futuro do Banco do Brasil”. Aconteceram três mesas de debate: “Retrato do Banco do Brasil nos últimos anos”; “O BB que queremos para o futuro do Brasil” e “Diversidade para construir um banco realmente do Brasil”.

Os delegados, inscritos antecipadamente, participaram por meio da plataforma que permitiu intervenções e votação. O público em geral acompanhou os debates pelos canais da Contraf-CUT no Facebook e Youtube após a votação do Regimento Interno e da defesa de teses.

Logo após a aprovação do Regimento Interno do 32º CNFBB e as saudações dos representantes das forças políticas com atuação no movimento sindical bancário do Banco do Brasil e das federações que compõem a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), antes da primeira mesa sobre “Diversidade para construir um banco realmente do Brasil”, o congresso homenageou o dirigente sindical, membro da CEBB, Jeferson Boava, falecido em junho de 2021, vítima da Covid-19.

O jornalista, professor universitário e ex-deputado federal Jean Wyllys (PT-RJ) disse que a crise que se iniciou em 2008 nos Estados Unidos só chegou ao Brasil em 2013, no governo Dilma. “Os que não queriam perder privilégios não queriam pagar nada para sustentar direitos sociais. Esses grupos criaram inimigos internos. Começou aí o movimento antipetista”, analisou Jean Wyllys.”

A segunda mesa de debates do 32º CNFBB tratou do “Retrato do Banco do Brasil nos últimos anos”, com a participação do ex-gerente de Soluções do Banco do Brasil, de Jean Moreira Rodrigues, e da economista Nádia Vieira de Souza, do Departamento Intersindical e Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Durante o terceiro painel do 32º CNFBB, os palestrantes contribuíram com as reflexões sobre “O BB que queremos para o futuro do Brasil”.