Buscar

Banrisulenses definem ações para impedir privatização do banco

Cerca de 200 trabalhadores e trabalhadoras do Banrisul se reuniram na manhã do último sábado, 11, no 29° Encontro Nacional dos Banrisulenses. Em um ano marcado pela ausência de campanha salarial, o debate ficou em torno da necessidade de reforçar a defesa do banco público, ameaçado de privatização pelo governo de Eduardo Leite (PSDB). O Encontro foi realizado pela plataforma Zoom.



Embora a conjuntura política e social adversa, os bancários começaram setembro com reajuste de 10,97% nos salários, vales refeição e alimentação e demais direitos econômicos estabelecidos pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). A grande notícia foi lembrada pelo presidente do SindBancários de Porto Alegre e Região, Luciano Fetzner, logo no início do Encontro. Ele destacou que a categoria foi uma das únicas que obtiveram ganho real acima da inflação no último ano. “O reajuste mostra que foi um acerto o acordo de dois anos negociado pelo Comando Nacional dos Bancários com Fenaban no ano passado. Era previsível que o país e o Estado, liderados por Bolsonaro e Eduardo Leite, iriam mergulhar nesta crise econômica que estamos atravessando. Mesmo sem campanha salarial neste ano, precisamos ficar vigilantes para que possamos blindar o Banrisul e os demais bancos públicos desta onda neoliberal que vivemos hoje no Brasil”, disse.

Os participantes aprovaram uma carta compromisso que será destinada aos candidatos ao governo do Rio Grande do Sul na eleição de 2022, deputados e também para os prefeitos de municípios gaúchos onde o Banrisul atua. A necessidade de escolher candidatos que estejam alinhados com o compromisso de defender a classe trabalhadora, o patrimônio público do Estado e os serviços públicos.

Cleberson Pacheco Eichholz, funcionário do Banrisul e presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Instituições Financeiras de Florianópolis e Região (Sintrafi), que participou do Encontro, destacou a importância dos colegas participarem mais das discussões políticas: "Na última eleição, muitos apostaram no ‘vamos pagar para ver’. Deu no que deu, pagaram e estão vendo, aliás continuamos todos pagando, pois as opções são individuais mas as consequências são coletivas!”

O representante da Fetrafi-SC no Comando dos Banrisulenses também enfatizou que “dois projetos absolutamente distintos estavam e continuam em disputa. A democracia nos permite de tempos em tempos rever posições e avaliar melhor as consequências de cada ato. Em 2022 o resultado das eleições irá determinar não somente a sobrevivência dos nossos empregos nos próximos quatro anos, mas poderá definir o futuro desta e das próximas gerações. Precisamos estar atentos e participar de forma mais ativa deste processo, pois ele será fundamental para manutenção do Banrisul", finalizou Eichholz.

O Encontro contou com a participação do deputado Zé Nunes (PT), que é presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Banrisul da Assembleia Legislativa. Para o deputado este é um momento crucial para que os banrisulenses se engajem na luta em defesa do Banco. Segundo ele, a concretização da venda Corsan, aprovada pela Assembleia no final de agosto, é “a travessia para o governo vender também o Banrisul”, o que precisa ser evitado pela sociedade gaúcha.

Outro encaminhamento do encontro foi a necessidade de fortalecimento do plebiscito popular sobre as privatizações das empresas públicas do Rio Grande do Sul, que foi lançado em agosto. O plebiscito pretende ouvir a população gaúcha, uma vez que o governador e deputados aliados na Assembleia Legislativa acabaram com o direito ao plebiscito para a população do Estado, aprovando a PEC 280 e tirando do povo a possibilidade de decidir sobre o patrimônio público. Os organizadores estão realizando uma Campanha de arrecadação de fundos para a execução do plebiscito sobre as privatizações das estatais. O objetivo é realizar o plebiscito no período de 16 a 23 de outubro.

Entre os encaminhamentos do Encontro, foi aprovada também a reivindicação de concurso público em caráter de urgência para o Banrisul. A medida visa suprir a falta de empregados (as) e melhorar o atendimento nas agências.

Banrisul 93 anos e rumo ao centenário

Neste domingo, 12 de setembro, o Banrisul completou 93 anos de história. Durante o 29° Encontro Nacional dos Banrisulenses foi exibido o vídeo da campanha em homenagem ao aniversário do banco.

A campanha tem como objetivo engajar a sociedade gaúcha na defesa do Banrisul público, diante da ameaça de privatização do Banco. A campanha demonstra, através de apoio de artistas, esportistas e representantes dos setores produtivos e industriais, que todo mundo perde sem o Banrisul.

Após completar 93 anos, os banrisulenses presentes no Encontro aprovaram que a campanha “Eu Sou Banrisul” mire agora no centenário do banco como estratégia para fornecer a defesa do banco público dos gaúchos. As peças passarão a ter #RumoAos100Anos.

Acesse as redes da campanha em:

Facebook: https://www.facebook.com/obanrisulenosso

Instagram: https://instagram.com/eu_sou_banrisul

Twitter: https://twitter.com/SBanrisul

WhatsApp: Clique aqui


Fonte: Portal Bancários RS, com Fetrafi-SC