top of page
Buscar

Banco do Brasil: Federação apoia Kelly Quirino para Caref


Os Sindicatos que compõem a Federação dos Trabalhadores no Ramo Financeiro de Santa Catarina apoiam e indicam o voto em Kelly Quirino para representar os funcionários no Conselho de Administração do Banco do Brasil (Caref). O primeiro turno do pleito será entre os dias 20 e 26 de janeiro e todos os funcionários do BB, da ativa, poderão participar via sistema eletrônico, que será disponibilizado pelo banco.


Kelly Quirino conta com o apoio da grande maioria dos sindicatos de bancários e da Contraf-CUT para o cargo, que tem como missão levar a visão, propostas e questionamentos dos trabalhadores até a alta administração do Banco do Brasil.


Quem é Kelly Quirino


Kelly é bancária do BB há 15 anos, atuou por 10 anos na Fundação BB e hoje trabalha na Diretoria de Marketing e Comunicação (Dimac) do banco. Além disso, é pesquisadora associada ao Intercom nas áreas de jornalismo impresso e jornalismo especializado. Em 2020, foi eleita uma das 115 mulheres referência na luta antirracista no Brasil. É doutora em Comunicação pela Universidade de Brasília (UnB) e mestre em Comunicação Midiática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).


Plataforma


A principal plataforma da candidata ao Caref é a defesa do Banco do Brasil como instituição pública, fortalecendo o BB como agente redutor das desigualdades. Kelly também defende a criação de um comitê de Diversidade e Inclusão, vinculado à presidência do banco, com representantes dos funcionários.


Apesar de o Caref ser impedido, pela legislação, de votar em pautas que envolvam questões funcionais no Conselho de Administração, o cargo tem acesso garantido a relatórios de auditorias, controladoria e das próprias discussões no conselho e pode colaborar nas ações para valorização das trabalhadoras e trabalhadores, com igualdade de oportunidades dentro do banco.


“No CA a estratégia proposta definirá os meios do seu alcance, aí estará nossa contribuição determinada a restabelecer uma gestão humanizada e respeitosa para com as funcionárias, funcionários e fornecedores do banco”, explica Kelly, que também pretende fomentar a valorização das trabalhadoras e trabalhadores com a igualdade de oportunidades dentro do banco, independente de gênero, cor, idade, orientação sexual ou escolha religiosa. “Precisamos aumentar a nossa representatividade, inclusive com mais mulheres exercendo funções do alto escalão do BB”, pondera.


Calendário Eleitoral


• 20/01 a 26/01: votação do 1º turno

• 08/02: divulgação do resultado final do 1º turno

• 24/02 a 02/03: votação do 2º turno

• 10/03: resultado final e proclamação do eleito(a)


bottom of page