Buscar

Bancários do Itaú querem emprego, saúde e melhores condições de trabalho

Esses são os principais pontos da pauta de reivindicações específicas definida no Encontro Nacional dos Trabalhadores, na quinta-feira, 5


Os 159 delegados e delegadas participantes do Encontro Nacional dos Trabalhadores do Itaú, realizado virtualmente nesta quinta-feira, 5, definiram sua pauta de reivindicações específica. “Nós queremos retomar com o banco as negociações de cada um dos pontos debatidos aqui. Este encontro é fundamental para conhecermos a realidade de todo o Brasil e assim definir estratégias que contemplem todos os trabalhadores do Itaú. Este é o papel do movimento sindical, defender todos que estão dentro da empresa”, afirmou Jair Alves, coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú.

Balanço Itaú

A apresentação dos dados do balanço do banco Itaú-Unibanco foi a primeira mesa de trabalho do encontro. “Se o banco repetir o mesmo resultado do primeiro semestre de 2021 no segundo semestre estará muito próximo de ultrapassar o seu maior recorde de lucro, em 2019, de mais de R$26 bilhões. Isso num ano todo vivendo numa pandemia”, destacou Cátia Uehara, economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Ela explicou que um dos motivos que levaram o banco a estar no mesmo patamar de antes da crise é a diminuição de custos através do home office e da queda de visitas e viagens.

Saúde do trabalhador

Saúde do trabalhador também foi tema do encontro nacional. “O tema da saúde sempre foi muito importante para o movimento sindical bancário. Com a pandemia, ganhou ainda mais importância”, afirmou Mauro Salles, secretário de Saúde do Trabalhador da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Emprego

Os trabalhos continuaram com o painel sobre Emprego. Os delegados e delegadas debateram os números apresentados pela economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Cátia Uehara, no início do encontro.

Remuneração

O terceiro ponto debatido na pauta foi remuneração. Os delegados e delegadas mostraram que instabilidade e medo de demissões são os resultados da implementação do GERA, programa de remuneração variável criado para substituir o AGIR.

Fundação Itaú

O último tema debatido pelos delegados e delegadas do encontro foi Fundação Itaú. Foi feito um breve relato sobre todos os planos e um resgate das últimas eleições, realizadas em maio.

Fetrafi-SC presente no Encontro Nacional dos Trabalhadores do Itaú

Para a representante da Fetrafi-SC na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú e diretora do Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região, Simoni Nascimento De Abreu, o Encontro dos trabalhadores do Itaú trouxe um panorama dos principais temas negociados com o banco desde o início da pandemia. A dirigente afirma que, “durante este período e também durante a campanha nacional do ano passado, o movimento sindical tem buscado garantir negociações permanentes no que se refere à pauta de saúde, emprego e condições de trabalho. Nossa maior preocupação neste momento é garantir direitos já conquistados.” Abreu destaca também que o encontro contribuiu para a construção de uma minuta de reinvenção que será apresentada na Conferência Nacional dos Bancários.