Buscar

Abertura de agências do Santander no sábado gera protestos nas bases da Fetrafi-SC



O banco Santander “esticou a corda” e tentou abrir as agências neste sábado, 22, para atendimento do programa chamado Desendivida. Forjando uma grande ação de cunho social, o Santander divulgou na mídia, mesmo sem negociar com a representação dos trabalhadores, a abertura de 3.000 agências para que seus clientes pudessem renegociar suas dívidas junto ao banco espanhol.


Para o secretário de Assuntos Jurídicos do Sintrafi de Florianópolis e dirigente da Fetrafi-SC, Luiz Toniolo, “a abertura de agências bancárias fere a Lei 4.178/1962 que extinguiu o funcionamento dos bancos aos sábados. Além disto, o sábado do bancário é considerado dia útil não trabalhado, conforme entendimento consagrado da Súmula 124 do Tribunal Superior do Trabalho (TST)”, complementou Toniolo.


Em muitos estados, houve o ingresso de ações na Justiça do Trabalho e concessão de decisões liminares proibindo o banco de abrir e convocar os funcionários para o trabalho no sábado. O mesmo ocorreu nas bases da Fetrafi-SC. Porém, a direção do banco informou que havia conseguido uma nova liminar que cancelava a liminar proferida pelo juiz titular da 1ª Vara do Trabalho de Florianópolis, Luciano Paschoeto.


Considerando que a Fetrafi não foi notificada até a presente data, os dirigentes dos sindicatos foram à luta para defender os direitos dos bancários e fazer valer a decisão favorável da ação. Tiveram manifestações em diversas bases da federação com paralisação de agências em Araranguá, Blumenau, Criciúma e Florianópolis. Em outras, os dirigentes dialogaram com os bancários e fiscalizaram o funcionamento das agências. Para o dirigente da Fetrafi-SC, Denilson Machado, “os bancários perceberam que não estão sozinhos nesta luta. Vamos continuar defendendo a jornada de segunda a sexta feira, o não trabalho aos sábados e o respeito à legislação e aos direitos da categoria.”


Resultados do Desendivida


Segundo o que a direção da Federação levantou, o Desendivida não teve o resultado esperado. As agências que conseguiram abrir receberam pouquíssimos clientes dispostos a regularizar suas dívidas. Outras sequer receberam clientes. Por outro lado, nas agências que estavam fechadas a direção do banco espanhol mandou fixar um cartaz informando que o cliente poderia “desendividar nos canais digitais, 24 horas por dia, 7 dias por semana”. Então, se tem esta possibilidade, qual o motivo para desrespeitar os direitos dos bancários, a legislação trabalhista e o movimento sindical?


Confira o cartaz abaixo:


Para a direção da Fetrafi-SC, ao invés de prejudicar seus funcionários, o Santander poderia fazer uma campanha para reduzir tarifas e juros, contratar mais funcionários para atender nas agências e acabar com a estratégia de Endivida – Desendivida.


Santander, respeite o Brasil, os trabalhadores e os clientes!


Veja a galeria de fotos das atividades. Passe o mouse em cima da foto para saber qual a cidade: