top of page
Buscar

A organização e a luta dos trabalhadores venceram ataques à democracia e aos direitos da categoria

Que 2023 seja o prenúncio de um novo tempo, em que as lutas da sociedade possam significar o fim das desigualdades econômicas e de direitos

Conferência Estadual dos Bancários de SC

A organização da categoria bancária, apesar dos retrocessos econômicos e políticos provocados pela ascensão do obscurantismo no país, cuja face mais cruel é o crescimento das desigualdades sociais e o empobrecimento da população, encerra o ano tendo conquistado a renovação da Convenção Coletiva e dos diversos acordos específicos.


O processo de construção da Campanha Nacional dos Bancários iniciou em maio deste ano com a realização da 24ª Conferência Estadual dos Trabalhadores do Ramo Financeiro em Santa Catarina, na cidade de Blumenau, debatendo a conjuntura política e econômica do país e definindo as prioridades nas negociações com os bancos.


Em junho, mais de mil bancários e bancárias de todo o país participaram, em São Paulo, da 24ª Conferência Nacional, consolidando os debates regionais e estabelecendo as estratégias de defesa dos direitos da categoria, considerando os riscos e ameaças de uma conjuntura em que se somavam, além das eleições gerais, uma crise econômica e institucional.


Destaca-se que os representantes dos bancos propuseram, logo no início do processo de negociação, uma série de flexibilizações nos direitos dos bancários e bancárias e, até mesmo, a retirada de algumas conquistas históricas da categoria, fortalecidos desde o fim da ultratividade dos contratos de trabalho aprovada com a Reforma Trabalhista.


Mesmo ainda submetidos aos riscos de contaminação e das muitas restrições decorrentes da pandemia da Covid-19, a categoria soube resistir aos ataques dos banqueiros, inovando no processo de mobilização com a realização de plenárias e assembleias virtuais, além de ações de luta nas redes sociais, aprovando nacionalmente a renovação da Convenção Coletiva.


Constantemente ameaçados de privatização pelo governo federal e seus aliados do mercado, o desmonte dos bancos públicos federais foi evitado através de uma Campanha Nacional que conseguiu dialogar com a sociedade sobre a importância das instituições financeiras no desenvolvimento do país e na geração do emprego e renda.


Próximos ao encerramento de mais um ano, a Fetrafi-SC lamenta a ausência dos colegas e das colegas que faleceram em 2022, muitos pela irresponsabilidade dos que deveriam governar o país e os estados tendo como compromisso maior melhorar as condições de vida das pessoas.


A Fetrafi-SC deixa aqui sua homenagem a eles, desejando aos familiares e amigos um novo ano de esperanças, de saúde e alegrias. Esperança representada pela derrota eleitoral do projeto de retrocessos e obscurantismo que terá seu fim com o ano que se encerra.


Que 2023 seja o prenúncio de um novo tempo, em que as lutas da sociedade possam significar o fim das desigualdades econômicas e de direitos e no qual a civilização se imponha sobre a barbárie, em que toda a vida seja respeitada vencendo os preconceitos e a violência contra homens, mulheres e a natureza.


Confira algumas imagens que marcaram a luta da categoria bancária de SC este ano:



bottom of page