Buscar

37º Conecef define calendário de lutas dos empregados da Caixa

Evento deixa a certeza da importância da união dos empregados na luta em defesa das empresas públicas, da democracia e da soberania nacional


O 37º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef), realizado neste sábado, 7, em formato eletrônico, definiu o calendário de atuação específica da categoria em defesa da Caixa Econômica Federal e do seu quadro de pessoal.

Moções e resoluções aprovadas

As delegadas e os delegados participantes do 37º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef) aprovaram um conjunto de moções e resoluções, reforçando a defesa da democracia e da organização sindical. Dentre elas, a resolução em defesa da conselheira Rita Serrano e da sua participação ampla no Conselho Administração da Caixa. A perseguição, o assédio, as atitudes de desqualificação e criminalização de representantes da categoria não serão aceitas.

Também foi aprovada moção em defesa da saúde dos empregados e das empregadas da Caixa. Uma decisão fatal foi tomada quando, de forma unilateral, a direção da Caixa decidiu encerrar as negociações do GT Saúde Caixa. Esse governo está usando seu poder social e político para definir como as pessoas (no caso, nós empregados da Caixa) devem viver, sobreviver e também morrer.

Foi aprovada ainda moção em defesa dos participantes da Funcef. A atual conjuntura política de privatizações tenta, a todo custo, retirar a representação dos participantes das instâncias de poder da Funcef, enfraquecendo a gestão participativa dos verdadeiros donos de mais de R$80 bilhões de patrimônio do fundo.

Outra aprovação foi da moção em defesa dos Correios na luta contra a privatização. Os Correios representam a presença do Estado e dos serviços públicos em todas as regiões do país. Por fim, foi aprovada moção de repúdio a Pedro Guimarães e à direção da Caixa. O repúdio é por manter os trabalhadores do estado de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul sem a garantia plena dos seus direitos por adotar o Verocard, Greencard nesse estado.

O primeiro painel do 37º Conecef tratou do tema “Democracia, Diretos e Vida” com os jornalistas Helder Maldonado, especializado em música e cultura pop, e Marco Bezzi, coautor do livro “Como o Rock Pode Ajudar Você a Empreender”. De forma bem-humorada, os dois fizeram uma apresentação da situação do país, dos ataques feitos pelo governo Bolsonaro e que influenciam de forma brutal a vida da população.

A médica e pesquisadora da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho, Maria Maeno, contribuiu com as reflexões do segundo painel do 37º Conecef, com o tema “A meta é ter condições de trabalho e saúde”. Em sua fala, Maeno observou que, tradicionalmente, há uma tendência de responsabilizar o trabalhador por acidentes ocorridos em ambiente de trabalho. “A primeira pergunta que se faz é: ‘o que ele fez de errado’, quando na verdade deveria se perguntar o que poderia ser diferente no trabalho para que este acidente não ocorresse?”, disse.

O painel “Caixa e seus empregados e a defesa no Congresso Nacional e na Sociedade” abriu os trabalhos da tarde do 37º Conecef. A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) fez uma análise de conjuntura sobre a triste realidade política do país. Na sequência, Rita Serrano, representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa Econômica Federal, garantiu que os empregados da Caixa podem ser peça fundamental nesta luta. “Nós, empregados da Caixa, viemos fazendo história ao longo dos anos. Se o banco hoje ainda se mantém público é porque nós, as entidades sindicais, as entidades associativas, empunhamos a bandeira da defesa da instituição”, afirmou.