Buscar

23ª Conferência Nacional dos Bancários: confira os principais pontos dos dois dias de debates

Evento contou com a presença de aproximadamente 1,2 mil bancários de todo o país e foi encerrado com a aprovação de um plano de lutas para a categoria

A 23ª Conferência Nacional dos Bancários foi aberta na noite de sexta-feira (3) com um número recorde de representantes da categoria em todo o país. Foram 1.175 delegados e 131 convidados inscritos. Na abertura solene, Juvandia Moreira, presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, fez uma análise sobre a atual conjuntura do país. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que falaria sobre “O Brasil que queremos”, não pôde participar da Conferência por ter que comparecer ao velório de Sergio Mamberti. Lula enviou vídeo com saudação à Conferência e lembrou da relação que tem com a categoria. Diversos outros dirigentes também participam da cerimônia de abertura do evento. Veja aqui matéria completa...

A segunda mesa de debates da 23ª Conferência ocorreu na manhã do sábado (4), e teve como tema principal reflexões sobre a regulação e a evolução do sistema financeiro ao longo da história e as consequências desta regulação sobre a categoria e a sociedade. A economista Vivian Machado, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), apresentou dados sobre as consequências da digitização dos negócios, e as consequentes mudanças no perfil do trabalho e do trabalhador. Veja matéria completa aqui...

Também no sábado, durante a Conferência, foram apresentados os resultados da 2ª Pesquisa de Teletrabalho da Categoria Bancária. O estudo avaliou as condições da categoria realizar o trabalho remoto após mais de um ano de duração dessa modalidade. Ainda que os bancos não cumpram totalmente o negociado para o teletrabalho, a modalidade se revelou uma forma fundamental para reduzir os riscos de contágio da Covid-19 pela categoria. A pesquisa coletou respostas de 12.979 bancários e bancárias de todo o país. Na primeira pesquisa, realizada no ano passado, foram ouvidos 10.939 bancários e bancárias. Assim que começou a pandemia, boa parte da categoria foi deslocada para o teletrabalho. Veja matéria completa aqui...

O retrato da categoria continuou a ser traçado durante a 23ª Conferência Nacional dos Bancários, com a apresentação do resultado parcial da pesquisa feita em parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp), tratando sobre as sequelas da Covid-19 na categoria bancária. O levantamento mapeou a saúde do trabalhador bancário já acometido pela doença, a fim de subsidiar o Comando Nacional nas negociações com os bancos, garantindo a devida proteção à saúde dos trabalhadores. Trata-se de uma extensa e aprofundada pesquisa que busca levantar sintomas e impactos da Covid-19, tanto na fase mais branda da doença como na mais rigorosa, inclusive em casos de reinfecção. Veja matéria completa aqui...

A terceira mesa de debates da Conferência Nacional dos Bancários teve como base as reflexões da economista e pesquisadora Fernanda de Freitas Feil, do Grupo de Pesquisa sobre Finanças e Desenvolvimento (Finde), e do economista e professor titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Ladislau Dowbor. As discussões giraram em torno do tema “Qual sistema financeiro o Brasil precisa?”. Veja matéria completa aqui...

A quarta mesa de debates da 23ª Conferência Nacional dos Bancários teve como tema “Brasil sem Desigualdade”, com a presença da ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Dilma Rousseff, Tereza Campello. Ela ressaltou em sua fala que, caso as desigualdades estruturais não sejam enfrentadas, o Brasil nunca terá um crescimento sustentável com inclusão e garantias para todos. Veja matéria completa aqui...

A quinta mesa da Conferência recebeu a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann; o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e ex-candidato à presidência da República, Guilherme Boulos (PSOL); e o deputado federal Orlando Silva (PC do B). O debate girou em torno do tema “Brasil sem desigualdades”. A tônica das falas na mesa foi a tarefa de derrotar o bolsonarismo e a formulação de um projeto de reconstrução do país que de fato contemple os direitos e anseios dos trabalhadores e da população brasileira em geral. Veja matéria completa aqui...

A 23ª Conferência Nacional dos Bancários e Bancárias foi encerrada na tarde do sábado (4) com a aprovação de um plano de lutas para a categoria. Os debates e as resoluções sistematizadas no evento retratam a necessidade de união dos trabalhadores do setor diante de um cenário de crise econômica, política e sanitária que atinge o país. A Conferência combinou um posicionamento de defesa da democracia com as conquistas e direitos. Foram cerca de 1,2 mil pessoas debatendo temas relacionados à categoria bancária e a todo o país. Veja matéria completa aqui...